14/05/2019

O que são e para que servem os índices de rentabilidade?

Será que o seu negócio é rentável? Embora pareça complexo à primeira vista, a questão é de extrema importância, já que a saúde financeira da empresa é o que garante sua existência e permanência no mercado. Os índices de rentabilidade são parceiros ideais para medir e acompanhar os resultados alcançados a partir das metas e objetivos definidos.

É por meio deles que o gestor pode verificar se há necessidade de correção na estratégia para reverter quedas na lucratividade. Eles também são parâmetros para que possíveis investidores avaliem se vale a pena aplicar na sua companhia.
Tem dúvidas sobre o assunto? Aproveite nosso artigo, e descubra como eles, quando bem utilizados, podem trazer benefícios para seu negócio. Continue a leitura e confira!

O que são os índices de rentabilidade?

Os índices de rentabilidade são indicadores que demonstram se uma empresa é — ou não — rentável. Ou seja: a partir deles é possível saber se as operações efetuadas rendem lucros suficientes para mantê-la funcionando com saúde.

Vamos imaginar uma situação simples: João tem a Padaria Pão Gostoso há um ano e investiu R$500 mil nela. O negócio rende R$10 mil por mês. Ele agora está em busca de R$50 mil para incluir uma linha de pães doces na loja.

Mas não basta dizer que a padaria dá lucro; é preciso ter dados que comprovem o discurso. Para tanto, João precisa saber qual a rentabilidade da padaria em relação ao investimento inicial e o tempo que demorou para ter o que investiu de volta.

Rentabilidade da Pão Gostoso em um ano:

R$10 mil (lucro mensal) / R$500 mil (investimento) = 2%

Assim, fica fácil para João saber qual o caminho mais adequado para conseguir o valor necessário: investidor, parceiro, consórcio ou empréstimo.

Qual a importância desses indicadores para empresas?

Os índices de rentabilidade não servem apenas para procurar investimentos. Eles também são um termômetro que ajuda a conferir a saúde das finanças e para fazer o planejamento financeiro.

Um negócio capaz de gerar caixa e liquidar dívidas com rapidez indica uma boa gestão e um futuro promissor. Isto é especialmente interessante para novos negócios, que precisam aprender a administrar o sucesso para mantê-lo com o passar dos anos.

Outro benefício do uso desses indicadores é a correção de rota. Empresas fazem parte de um sistema dinâmico que envolve uma ampla gama de participantes (concorrentes, consumidores, funcionários, fornecedores etc). Uma mudança gera uma reação em cadeia que afeta todo o ciclo.

Vamos voltar a Padaria Pão Gostoso. Imaginemos que ela esteja localizada em uma cidade turística e que boa parte da renda do estabelecimento venha da parceria com a rede hoteleira.

Se o preço do combustível aumentar e o número de visitantes cair na cidade, por exemplo, a taxa de ocupação acompanha a tendência. Os hotéis vão precisar de menos pão para o café da manhã, com impacto direto e negativo sobre as vendas da loja.

Caso João acompanhe os índices de rendimento, assim que perceber a queda, poderá repensar a estratégia. Ele pode fazer uma parceria com a rede escolar, oferecendo merenda para as crianças, compensando a perda com o novo negócio.

Porém, se ele apenas estiver focado nos números totais, pode demorar muito tempo até descobrir o problema para a queda nas vendas.

Quais os principais índices?

Para que você possa estabelecer seu plano de acompanhamento da rentabilidade do seu negócio e assim como o João estar atento às mudanças e à capacidade da empresa de fazer o investimento render, separamos os principais índices de rentabilidade:

Índice de ativos

Este indicador mensura a rentabilidade dos investimentos feitos, independentemente da fonte dos recursos. O cálculo é feito por meio da multiplicação do lucro líquido por 100 e divisão do resultado pelo valor do ativo/investimento.

No caso da Pão Gostoso, depois um tempo no mercado, foram comprados novos fornos com o dobro de capacidade para assar pães (de 500 para mil por dia). O investimento? R$100 mil. Agora a padaria vende, em vez de 12.000, 24.000 pãezinhos por mês, com lucro líquido de R$1,00 por unidade. Qual a rentabilidade deste investimento no primeiro ano?  Vejamos, a seguir:

24 mil pães por 12 meses: 288 mil pães, com lucro líquido total de R$288 mil

Índice de ativos: R$288 mil (lucro líquido) x 100 / R$100 mil (fornos) = R$288 mil

A partir dele também é possível saber qual o giro de um ativo, bastando dividir a receita líquida total da empresa pelo total do ativo.

Índice de margem

A margem corresponde ao valor que a empresa ganha a cada venda efetuada. O mais comum é que este índice seja subdividido, relacionado à margem operacional e à margem líquida.

No primeiro caso, o que se mede é o lucro por venda, sem considerar as despesas (obrigações, tributos). Para tanto, divide-se o lucro operacional pelo número de produtos/serviços vendidos. João vende, na Pão Gostoso, dois tipos de pão, salgado e doce, com lucro operacional (lucro líquido + juros + impostos) de R$1,50. Vejamos  a conta:

Índice de margem — lucro por venda: R$1,50 (lucro operacional de cada pão ) / 2 (tipos de produtos) = R$0,75 a cada pãozinho vendido por João e sua equipe.

Já no segundo, o lucro líquido é multiplicado por 100 e depois dividido pelo número de vendas líquidas. Este é o índice que demonstra se a empresa é lucrativa, ou não:

Índice de margem: R$288.000 (lucro líquido anual) x 100 / 10.000 vendas/ano = 576%

Retorno sobre capital

Popular entre investidores em busca de oportunidades, o retorno sobre capital demonstra se a empresa gera lucros ou se precisa usar o seu capital para manter-se em funcionamento.

A conta é simples, bastando dividir o lucro líquido pelo patrimônio líquido, e o resultado é apresentado por meio de porcentagem:

Retorno sobre capital da Pão Gostoso: R$288.000 (lucro líquido) / R$600 mil (patrimônio líquido) = 0,48% ao ano

Retorno sobre o capital próprio

Este indicador é usado por quem tem acionistas, parceiros ou sócios e deseja atestar a capacidade de retorno do seu negócio. Ele mostra a rentabilidade das aplicações feitas por outras pessoas.

A conta é a mesma do item anterior, o resultado da divisão do lucro líquido pelo patrimônio líquido. O que muda é a fonte dos recursos: no retorno sobre capital, os valores usados representam o volume total de negociações da empresa, enquanto no retorno sobre capital próprio, apenas o que foi colocado por terceiros.

É interessante lembrar que, embora sejam divididos em categorias e aplicados individualmente, esses índices carecem de comparações para uma avaliação completa. Acompanhe o setor e a concorrência para decidir parâmetros objetivos para conferir os números do seu negócio e estabelecer metas e objetivos realistas, assim como João está sempre atento às padarias da cidade para saber o melhor caminho.

Outro ponto importante é entender que lucratividade não é tudo; existem outras maneiras para determinar o desempenho e o sucesso de um negócio. Na Pão Gostoso,  a satisfação de clientes e funcionários é constante, por exemplo. Os índices de rentabilidade são ferramentas que devem ser usadas para compreender a situação do negócio, fazer previsões para o futuro e tomar decisões mais certas.

Esperamos ter tirado todas as suas dúvidas sobre esse importante assunto. Que tal receber outras dicas e informações preciosas para fazer seu negócio crescer? Então não deixe de assinar a nossa newsletter e receba na sua caixa de entrada conteúdos fantásticos sobre investimentos, economia e muito mais!

,