07/05/2019

Guia Completo do Seguro Residencial: tudo o que você precisa saber

Com a quantidade de notícias veiculadas na imprensa atualmente, relatando incêndios, desmoronamentos, alagamentos e outros tantos acontecimentos que, além de tristeza, causam sérios prejuízos, você já parou para pensar se você protege seu patrimônio quanto a esses eventos? Se um curto-circuito causasse um incêndio na sua residência agora, os custos da reforma ficariam todos por sua conta ou seu seguro residencial cobriria as perdas?

Se você ficou pensativo com a situação narrada acima, é melhor você conhecer os detalhes sobre essa modalidade de seguro que, além de proporcionar segurança, oferece também grande praticidade para o dia a dia. Quer saber mais? Vamos lá!

Afinal, o que é e para que serve o seguro residencial?

Como o próprio nome já sugere, o seguro residencial é um serviço que tem como finalidade proteger uma residência, seja casa, apartamento, quitinete ou qualquer outro tipo regular de morada, contra os mais variados acontecimentos que podem gerar perdas de patrimônio. Por conta disso, é um seguro multirrisco. Ou seja, trata-se de uma apólice formada por diversas coberturas.

Essa característica do seguro residencial proporciona uma possibilidade de personalização muito grande. Afinal de contas, cada residência está mais ou menos exposta a determinados riscos. Nele você pode querer contratar uma cobertura maior para roubos e furtos do que para quedas de raio, por exemplo.

No caso de ocorrer um fato coberto pelo seguro residencial, basta o segurado entrar em contato com a seguradora para se informar sobre os procedimentos para receber a indenização. Assim, há uma grande redução nas perdas financeiras. Sabendo disso, o segurado pode ficar mais tranquilo, pois tem uma casa protegida.

Como contratar esse tipo de seguro?

O funcionamento de um seguro residencial é muito simples. Ao procurar um corretor de seguros, ele informará ao interessado quais são as coberturas básicas, as complementares e as assistências possíveis de serem contratadas. Esses detalhes você descobrirá logo em seguida.

Com base nessas informações, é feito o cálculo do prêmio do seguro, que é o valor a ser pago por ele, normalmente por ano. Também é informado sobre a possibilidade de pagar em parcelas e se há necessidade do pagamento de franquia para utilizar certas coberturas.

Ao concordar com a cotação e fazer a contratação, em poucos dias o segurado recebe a apólice em sua residência, que já está protegida. Caso venha a ter uma ocorrência que haja cobertura para ela, o chamado sinistro, basta entrar em contato com a seguradora.

Nesse caso, será feita uma vistoria para verificar os danos que a casa sofreu, fazer os orçamentos para os reparos e encaminhar os documentos para serem analisados pela seguradora. Depois disso, o valor é liberado ao segurado.

Ao final da vigência do seguro, utilizando ou não as coberturas, é preciso fazer a renovação para o próximo período. Dessa forma, a residência é sempre protegida.

Quais são as coberturas do seguro residencial?

Como já foi dito, no seguro residencial há a cobertura básica e as complementares. Conheça agora cada uma delas.

Cobertura básica

A cobertura básica cobre os danos causados por incêndios, explosões e quedas de raios. Ou seja, é o mínimo que um seguro residencial precisa cobrir. No entanto, existem 3 possibilidades de contratação da cobertura básica:

  • cobertura para o prédio: cobre os danos causados à edificação. Assim, caso haja um incêndio, por exemplo, a cobertura irá recompor os prejuízos com a reconstrução da residência, até o limite estipulado em contrato;
  • conteúdo: nesse caso, a cobertura abrange o que está dentro da residência. No mesmo exemplo do incêndio, a seguradora cobriria as perdas com móveis, eletrodomésticos e decoração;
  • cobertura do prédio mais conteúdo: é a combinação das duas coberturas anteriores, tornando o seguro residencial mais completo e abrangente.

Coberturas complementares

A cobertura básica oferece pouca proteção para grande parte das residências. Sabendo disso, as seguradoras oferecem diversas coberturas complementares para que você possa ajustar o seu seguro residencial a sua realidade. Abaixo, você conhecerá as mais comuns. Porém, fique atento: uma seguradora pode oferecer coberturas complementares diferentes.

Roubo ou furto qualificado

Essa é uma das coberturas complementares mais importantes, pois cobre as perdas ocasionadas por roubo ou furto qualificado. Antes de contratar essa cobertura, é interessante saber a diferença entre roubo e furto qualificado.

Roubo é quando alguém subtrai algo de uma pessoa mediante violência. Já o furto qualificado é quando um bandido utiliza de técnicas de arrombamento para entrar sem ser percebido ou na ausência do dono da coisa furtada. Tanto uma situação quanto a outra estão protegidas por essa cobertura. As exceções costumam ser dinheiro em espécie, obras de arte e joias.

Danos elétricos

Outra cobertura interessante, ainda mais nos dias de hoje, com a proliferação de aparelhos eletrônicos. Se a sua casa tem vários deles, como TVs, computadores, ar-condicionado, videogame, micro-ondas e tantos outros, é importante você contratar essa cobertura.

Além dos aparelhos eletrônicos, a cobertura também cobre danos ocorridos na instalação elétrica da residência. Assim, a proteção contra danos elétricos é total.

Vendaval

A sua casa está localizada em região de muitos ventos? Possui cobertura feita por telhas? Tem equipamento de energia solar sobre elas? Se respondeu sim a algumas dessas perguntas, então o seu seguro residencial precisa ter essa cobertura de vendaval, que cobre danos causados também por granizo, furacão, ciclone e tornado.

Quebra de vidros

A utilização de vidros é comum em praticamente qualquer tipo de residência. Eles são mais frequentes nas janelas, mas também estão presentes em portas, espelhos e box de banheiro. Todos eles entram nessa cobertura, sendo bastante interessante contratá-la.

Impacto de veículos e aeronaves

Talvez você não tenha pensado ainda nessa possibilidade, mas sempre existe o risco de uma residência ser atingida por um caminhão desgovernado ou pela queda de um avião. Principalmente se a moradia estiver localizada em avenidas movimentadas ou próxima a aeroportos. É para essas ocorrências que existe essa cobertura complementar.

Responsabilidade civil familiar

Já pensou se alguém da sua família, empregado doméstico ou animal de estimação causar um dano a um terceiro e isso acabar na justiça? Provavelmente, terá que pagar uma indenização. Caso isso aconteça, essa cobertura será utilizada para arcar com o prejuízo.

Desmoronamento

A cobertura de desmoronamento oferece uma tranquilidade a mais ao segurado, tendo em vista que cobre os prejuízos provenientes da queda inesperada, súbita e acidental de paredes, muros e lajes. No entanto, é importante frisar que a residência estará coberta apenas se a construção foi realizada dentro das normas de engenharia com as devidas autorizações e que o desmoronamento não tenha sido causado por imperícia, imprudência ou negligência de alguém.

Perda ou pagamento de aluguel a terceiros

Quando ocorre algum problema em uma residência, como os vários já citados aqui, pode ser necessário que seus moradores sejam obrigados a sair da casa por determinado período. Nesse caso, será preciso pagar um aluguel temporário, até que todos os problemas sejam resolvidos e a volta para a casa seja segura.

Para situações como essa, existe a cobertura de perda ou pagamento de aluguel a terceiros. Ela também pode ser acionada se o segurado for o locador de um imóvel em que o inquilino teve que sair por algum desses problemas e, assim, deixar de receber o aluguel.

Escritório na residência

Você é profissional liberal e resolveu trabalhar em tempo integral em casa, no seu home office? Nesse caso, existe a cobertura para escritório na residência. Ela cobre prejuízos causados em móveis e equipamentos utilizados no trabalho em decorrência de incêndio, queda de raios, explosão, danos elétricos e roubo ou furto qualificado.

Quais são as assistências do seguro residencial?

Agora que você já sabe o que é cobertura básica e complementar, chegou a hora de descobrir o que é uma assistência de seguro residencial e quais são as principais. Apesar do foco de um seguro residencial ser as coberturas, as assistências são fundamentais, pois evitam que pequenos acidentes domésticos cheguem a causar grandes prejuízos.

Sendo assim, as assistências são serviços que podem ser executados na residência segurada para diminuir a possibilidade de um dano maior e também para aumentar o conforto do segurado. É o caso da assistência de instalação de chuveiro elétrico. Como ela é feita por um profissional, as chances de ocorrer um dano elétrico de proporções maiores caem consideravelmente.

Sabendo o que são assistências do seguro residencial, veja agora quais são as principais!

Serviços hidráulicos

Já imaginou se aparecer um vazamento na cozinha ou no banheiro de sua casa no final de semana e você não tem ideia de como arrumar? Para essas situações, existe a assistência de serviços hidráulicos. Ao acionar a seguradora, ela encaminha um encanador para fazer o reparo para você.

Conserto de eletrodomésticos

Alguns seguros residenciais oferecem essa assistência que cobre pequenos reparos de eletrodomésticos da linha branca, aqueles da cozinha e área de serviço, como geladeira, fogão, micro-ondas e máquina de lavar. Essa é uma forma de evitar que você se aventure tentando arrumar o aparelho e estrague ainda mais.

Chaveiro

Pense nessa situação: você chegando em casa, esgotado de tanto trabalhar e sonhando com um banho para relaxar quando, ao tentar abrir a porta, a chave quebra dentro da fechadura ou você percebe que está sem ela. Não tem a menor ideia de onde as deixou. Quem tem um seguro residencial com a assistência de chaveiro não precisa se preocupar. Basta ligar para a seguradora que logo estará dentro de casa e com chaves novas.

Serviços elétricos

A assistência de serviços elétricos é para evitar que você tome um choque ou que estrague ainda mais a instalação elétrica da sua residência. Portanto, sempre que tiver uma tomada ou interruptor com mau contato ou quando a resistência do chuveiro queimar, basta acionar essa assistência.

Desentupimento

Uma das situações mais desagradáveis dentro de uma casa é quando alguma tubulação entope. Caso esteja recebendo visitas ou hóspedes, o problema fica ainda mais constrangedor. Para solucionar esse contratempo, há a assistência de desentupimento. Podem ser vasos sanitários, caixas de gordura, pias, ralos, sifões ou qualquer outra tubulação de água ou esgoto.

Segurança e vigilância

Imagine que alguém tentou entrar em sua residência arrombando a porta, mas felizmente o bandido acabou desistindo, deixando a fechadura estragada para trás. Caso isso ocorra à noite ou durante um final de semana, você teria coragem de ficar ali com a porta sem trancar? Para uma situação dessas, existe a assistência de segurança e vigilância, para vigiar a casa até que você tenha como providenciar o reparo da porta.

Essas são as principais assistências de um seguro residencial. No entanto, cada seguradora pode optar por oferecer outros serviços diferentes. Portanto, é preciso ficar atento ao contratar o seguro e também à apólice, pois tudo deve estar descrito lá.

Outro detalhe: o segurado não paga nada ao acionar as assistências. Porém, é preciso verificar o limite de acionamentos que podem ser feitos durante a vigência do seguro.

Contratar seguro residencial vale a pena?

Por conta do que já foi exposto até aqui, talvez você deva estar imaginando que um seguro residencial é algo muito caro e para poucos. Afinal de contas, são muitas as coberturas e assistências, garantindo muito conforto e segurança para quem contrata esse plano.

Porém, pensar assim é um grande engano. O prêmio de um seguro residencial costuma ser uma fração ínfima diante dos valores das coberturas contratadas. Para que você tenha uma ideia aproximada, uma apólice de seguro residencial costuma ficar entre 0,5% e 1,0%, dependendo das coberturas escolhidas e dos fatores de risco envolvidos, como tipo de imóvel e sua localização.

Um apartamento, por exemplo, costuma ter um custo de contratação de seguro residencial mais baixo se comparado com o de uma casa. Isso porque a sua estrutura já estará coberta pelo seguro que todo condomínio vertical deve ter, conforme Lei 10.406, art. 1.346. Além disso, é possível dispensar as coberturas que você bem entender.

Já uma casa de madeira, provavelmente, terá um valor de seguro mais alto, por ser mais sensível a incêndios e vendavais. Assim também acontece com as casas de veraneio, que são mais expostas à ação de bandidos por ficarem sem moradores grande parte do tempo.

Então, o seguro residencial vale muito a pena, principalmente se levar em consideração as assistências e coberturas complementares. Considere uma situação em que você tenha contratado um seguro residencial e tenha acionado algumas assistências durante o ano, como: um chaveiro, um desentupidor da caixa de gordura e um eletricista para arrumar o chuveiro.

Mesmo que não tenha precisado de nenhuma cobertura, apenas com os serviços das assistências, você terá economizado dinheiro, pois não precisará de dinheiro emergencialmente e tempo, pois o serviço está disponível para você quando necessitar. Se precisar de acionar alguma cobertura então, a economia pode chegar a milhares de reais.

Quais cuidados tomar ao contratar o seguro?

Depois de conhecer mais detalhes sobre os seguros residenciais, provavelmente você deve ter ficado interessado em contratá-lo. Eles são uma modalidade muito interessante, mas você precisa tomar alguns cuidados antes de fechar negócio. Veja quais são.

Verifique se a seguradora é autorizada a funcionar

Para que uma seguradora possa comercializar seguros, ela precisa ser autorizada pela SUSEP — Superintendência de Seguros Privados. Isso é importante porque somente assim você tem a certeza de que a empresa funciona de acordo com o regulamentado em lei, inclusive quanto aos depósitos compulsórios.

Esses depósitos garantem o pagamento de indenização aos segurados em caso de falência da seguradora. Importante salientar que a consulta à SUSEP deve ser feita pelo nome da seguradora, não da corretora.

Certifique se há muitas reclamações

Outro cuidado a ser tomado antes de contratar um seguro residencial é fazer uma consulta na internet, em busca de reclamações de clientes. Pesquise as redes sociais da seguradora e em sites como o Reclame Aqui.

Claro que grandes empresas terão registros de reclamações. No entanto, é mais importante saber como essas reclamações são conduzidas. Portanto, verifique como é a abordagem da seguradora ou corretora, se é no sentido de resolver o problema do segurado ou não.

Pergunte sobre as exclusões

Uma dica importante para quando for contratar um seguro residencial é perguntar sobre as exclusões, que são situações não cobertas pelo seguro. Um exemplo é o caso de desmoronamento de parede decorrente de obra realizada sem projeto ou autorização da prefeitura. Esse fato não estará coberto pelo seguro.

Verifique a proposta apresentada

Gostou da proposta que o corretor de seguros apresentou verbalmente a você? Nesse caso, peça a proposta por escrito e confira se todos os itens apresentados na conversa também constam no documento. Isso será uma garantia de que está contratando exatamente o que deseja.

Confira a apólice

Depois de contratar o seguro, em alguns dias você receberá em sua residência a apólice e o manual do segurado, com as informações necessárias para o acionamento das coberturas e assistências. Confira se as informações que constam na apólice estão corretas, principalmente os valores das coberturas e do prêmio, além das assistências contratadas.

Verifique também como deverá proceder em caso de sinistros e mantenha as formas de contato acessíveis, como no celular ou na carteira. Isso facilitará o chamado em uma emergência.

Como escolher o melhor seguro residencial?

O último item que você precisa aprender sobre seguro residencial é a maneira correta de adequar a contratação a sua realidade, pois você viu que é possível personalizar a apólice. Dessa forma, veja o que precisa fazer.

Escolha as coberturas ideais

Além da cobertura básica, que todo seguro residencial deve oferecer, analise com objetividade a sua realidade e escolha as coberturas mais adequadas. Isso é importante para que você proteja apenas o que realmente importa, deixando de lado outras coberturas que não interessam.

Exemplos disso são as coberturas de desmoronamento e vendaval, que não são necessárias para quem mora em apartamento. Já quem mora em casa deve ficar atento a essas e também à de roubo ou furto qualificado, por ser mais vulnerável às invasões.

Avalie os valores das coberturas

Ao contrário do que algumas pessoas podem pensar, o valor das coberturas não estão relacionadas com o quanto o imóvel está avaliado. Na verdade, o que o interessado deve analisar é o custo de reconstrução e o de reposição dos itens que possam ser danificados ou roubados.

No caso de um incêndio que tome toda a construção, por exemplo. O valor dessa cobertura deverá ser suficiente para reconstruir a casa e comprar novos móveis e eletrodomésticos. Porém, o terreno continuará disponível e seu valor não deverá ser considerado.

Esse mesmo raciocínio deve ser feito com todas as coberturas que houver interesse em contratar. Cada uma delas precisa espelhar a realidade do imóvel, pois nessa etapa serão definidos os LMI (Limites Máximos de Indenização). Caso determine um valor muito baixo, poderá ficar com prejuízos descobertos.

Analise os planos de assistências

Assim como você deve ter cuidado ao escolher as coberturas, essa atitude também é recomendável ao optar pelo plano de assistências atrelado ao seu seguro residencial. Ele também precisa espelhar as suas reais necessidades.

Dessa forma, você não fica na mão na hora que mais precisar, mas também não paga mais por algo que não vai precisar, como limpeza de caixa d’água para quem mora em prédio, por ser uma responsabilidade do condomínio.

Agora você já sabe tudo o que precisa sobre seguro residencial. Descobriu o que é e como funciona esse tipo de apólice e, ainda, ficou conhecendo os tipos de coberturas e assistências. Além disso, está por dentro do que precisa ser feito para escolher o melhor seguro para a sua casa.

Você deve ter reparado que precisa ter cuidado na hora da contratação, para que tenha certeza de que não ficará desamparado quando mais precisar. Para completar a tranquilidade, é imprescindível contar com seguradora e corretora de confiança, com credibilidade no mercado.

A Bancorbrás é uma empresa com 35 anos de atuação no mercado brasileiro, oferecendo diversos produtos que facilitam a realização de sonhos, como os consórcios, e protege essas conquistas, como os seguros. Quer mais detalhes sobre o seguro residencial da Bancorbrás? Entre em contato agora mesmo!

,