Está com dúvidas?

Faça sua pergunta. Ex.: Como faço para adquirir um título?

O que é um Grupo de Consórcio?

É uma sociedade de fato, constituída na data de realização da primeira Assembleia Geral Ordinária. Será administrado e representado pela Administradora.

O que é uma Cota?

É o número que representa a participação do consorciado no grupo e a sua identificação nos sorteios.

Posso transferir minha Cota para outra pessoa?

Deseja transferir sua cota? Isso é possível mediante anuência expressa da Administradora e desde que preenchidos todos os requisitos para a efetivação do negócio (de acordo com a legislação vigente) e efetivado o pagamento da taxa de cessão, prevista no Contrato de Participação em Grupo de Consórcio. 

Entre em contato com a Central de Relacionamento para mais informações! 

Telefone: 0800 726 8484

E-mail: consorcio@bancorbras.com.br

Você também pode entrar em contato conosco pelo chat!

Como posso contratar um Consórcio?

Você pode adquirir a sua cota de consórcio por telefone, em uma de nossas lojas em Brasília ou nas Filiais da Bancorbrás

Telefone: (61) 3223 6000

E-mail: consorcio@bancorbras.com.br 

Faça já uma simulação e receba o contato de um dos nossos consultores de vendas!

O que são as Assembleias e como elas funcionam?

Assembleia de Inauguração: é a primeira Assembleia Geral Ordinária do seu grupo. Ela será designada pela Administradora quando houver adesões em número e condições suficientes para assegurar a viabilidade do grupo. Nessa ocasião, o grupo escolhe três consorciados, que o representarão perante à Administradora, com a finalidade de acompanhar a regularidade de sua gestão. 

Assembleia Geral Ordinária: realizada em dia, hora e local previamente informado pela Administradora. Destina-se à contemplação dos consorciados, bem como ao atendimento e à prestação de informações diversas. 

Assembleia Geral Extraordinária: convocada pela Administradora, por iniciativa própria ou por solicitação de 30% dos consorciados ativos do grupo. Destina-se à deliberação de quaisquer outros assuntos que não debatidos durante a Assembleia Geral Ordinária.

Como funcionam os sorteios?

Havendo disponibilidade em caixa, será realizado o sorteio em consonância com o resultado da Loteria Federal imediatamente anterior à data da Assembleia.

Como funcionam os lances?

Dá ao consorciado a chance de viabilizar a contemplação. Os lances obedecem às características do grupo e podem ser ofertados em valor, em percentual ou em número de parcelas, que serão convertidos em número de parcelas. 

A oferta de lance se dará com até 30 minutos de antecedência do horário de sua realização (horário oficial de Brasília/DF), por meio da internet, acessando o endereço eletrônico www.bancorbras.com.br ou por outras formas que vierem a ser adotadas e divulgadas pela Administradora.

Atenção! 

O consorciado deverá estar em dia com as parcelas para concorrer à contemplação.

O que significa ser contemplado?

É por meio da contemplação que o consorciado adquire o direito de utilizar a carta de crédito para a aquisição do bem/serviço ou a restituição das parcelas pagas, no caso de consorciados excluídos. A contemplação ocorre por meio de sorteios e lances.

O que é o crédito?

O crédito a que faz jus o consorciado quando contemplado será o valor equivalente ao bem, serviço, conjunto de bens ou serviços a que o contrato esteja referenciado, vigente na data da Assembleia Geral Ordinária de contemplação.

Como posso utilizar meu crédito?

Deseja adquirir um bem diferente daquele previsto no seu contrato? Você poderá fazê-lo desde que seja respeitado o segmento estabelecido em contrato. 

Caso o valor do bem seja superior ao da carta de crédito, você ficará responsável pelo pagamento da diferença de preço. No entanto, se o valor do bem for inferior ao estabelecido na carta de crédito, a diferença deve ser utilizada para: 

  • quitar as prestações que ainda não venceram, na forma estabelecida em contrato; ou
  • restituir os valores referentes ao pagamento das obrigações financeiras vinculadas ao bem, tais como: transferência de propriedade, tributos, registros cartoriais, instituições de registros e seguros, desde que respeitado o limite total de 10% do valor do crédito objeto da contemplação; ou
  • devolver o crédito em espécie ao consorciado quando suas obrigações financeiras com o grupo estiverem integralmente quitadas.

Estou com parcelas em atraso, e agora?

Se você ainda não foi contemplado e deixou de efetuar o pagamento de duas parcelas (consecutivas ou não) ou de montante equivalente a duas mensalidades, será automaticamente excluído do grupo, independentemente de notificação judicial ou extrajudicial. 

Se você já foi contemplado e deixou de efetuar o pagamento de mais de uma parcela, a Administradora poderá providenciar a inclusão do seu nome nos cadastros de proteção ao crédito e adotar os procedimentos legais para a execução das garantias.

Quero antecipar o pagamento de parcelas, posso?

Se você ainda não foi contemplado, poderá antecipar as parcelas por meio de um lance vencedor. 

Se você já foi contemplado e o valor do bem adquirido era inferior ao da carta de crédito, você poderá antecipar parcelas com a diferença de crédito.

Digite "Como posso utilizar meu crédito?" na busca e saiba como!

 

Quando sou contemplado, adquiro o bem no meu nome?

A partir dessa garantia, você transfere ao credor o domínio e a posse do bem. No entanto, continua sendo o alienante ou devedor, ou seja, possui todas as responsabilidades e encargos dispostos em leis penais e cíveis. 

Somente após a quitação dos valores estipulados em contrato firmado com a credora, você terá a propriedade sobre o bem. 

Quer saber mais sobre o assunto? A Lei nº 9.514/97, Capítulo II, trata da alienação fiduciária de bens imóveis.

Quero comprar um imóvel, posso usar meu FGTS?

Todo trabalhador com carteira assinada tem direito ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS, benefício que também pode ser utilizado no consórcio de imóvel.

O consorciado que possuir saldo no fundo garantidor, pode optar pela utilização nas seguintes modalidades:

  • pagar parte das prestações;
  • amortizar o saldo devedor; 
  • quitar a cota de consórcio; e
  • complementar a carta de crédito na aquisição do imóvel. 

Para utilizar o benefício, o trabalhador deve observar algumas regras estipuladas pelo Conselho Curador do FGTS, regulamentado pela Caixa Econômica Federal no Manual do FGTS. 

Acesse o link abaixo para mais informações

http://www.caixa.gov.br/Downloads/fgts-moradia/MANUAL_DA_MORADIA_PROPRIA_01_01_2019.pdf

O valor máximo de avaliação do imóvel, na data da aquisição, não pode exceder o limite estabelecido para as operações do SFH (Sistema Financeiro de Habitação).

Desde 31/10/2018 o valor adotado para novas aquisições em todo o território brasileiro é de R$ 1.500.000,00

 

Dúvidas frequentes

  • Qual a diferença entre DAMP I, DAMP II e DAMP III? 

O DAMP II utiliza o FGTS para amortização com redução do prazo e liquidação do saldo devedor. O DAMP III amortiza parcialmente – até 80% do valor das próximas 12 parcelas. 

  • Quanto tempo preciso ter trabalhado sob o regime de FGTS para poder utilizar o recurso de FGTS no consórcio de Imóvel?

No mínimo 3 anos. 

  • A cota de consórcio utilizada para a compra do imóvel deve estar em em nome do trabalhador?

Sim.  O trabalhador deve ser titular ou coobrigado do contrato a ser amortizado ou liquidado. 

  • Se eu quiser amortizar ou quitar minha cota com o FGTS, posso ter financiamento ativo no SFH? 

Não – seja em qualquer local do Brasil, na data de utilização do FGTS.

  • Posso ser proprietário, promitente comprador, usufrutuário ou cessionário de outro imóvel? 

Não na mesma cidade onde trabalha, municípios limítrofes ou da mesma região metropolitana, exceto se comprovar quitação do financiamento, venda ou transferência do imóvel impeditivo para uso do FGTS. 

  • Quais os pré-requisitos do imóvel para usar o FGTS para amortizar ou quitar minha cota de consórcio?

O imóvel deve ser residencial urbano, estar registrado no Cartório competente em seu nome ou do coobrigado.

  • Posso amortizar ou quitar o saldo devedor da minha cota de consórcio se a carta de crédito tiver sido utilizada para comprar um imóvel comercial, terreno ou para reforma e construção? 

Não. A carta de crédito somente poderá ter sido utilizada para a compra de imóvel residencial urbano.

  • Posso pagar parte das prestações, amortizar ou quitar o saldo devedor da minha cota de consórcio se a carta de crédito tiver sido utilizada para quitar financiamento habitacional (interveniente quitante)? 

Conforme regras da Caixa Econômica Federal, não é possível. 

  • Quanto tempo devo aguardar para uma nova utilização do FGTS para pagamento de parte de parcela ou amortização do saldo devedor da minha cota de consórcio? 

Para amortizar ou liquidar o saldo devedor (DAMP II): 2 anos; pagamento de parte das parcelas (DAMP III): 1 ano.

  • Se eu quiser amortizar o saldo devedor e depois pagar parte das parcelas, quanto tempo devo aguardar para uma nova solicitação?

A qualquer momento. Não há exigência de intervalo para utilização do FGTS nessas modalidades. 

  • Se as parcelas da minha cota de consórcio estiverem atrasadas, posso utilizar o FGTS? 

Nesse caso, a utilização poderá ocorrer somente nas modalidades de quitação da cota de consórcio (onde não existe limite de quantidade de parcelas em aberto) ou na modalidade de pagamento de parte de parcelas (nesta o limite de atraso é de somente 3 parcelas em aberto).

  • Como ocorre o saque do FGTS em caso de pagamento de parte das parcelas? 

Em parcela única. O valor debitado é utilizado para pagar até 80% de cada parcela, em 12 parcelas mensais, exceto nos casos em que o prazo restante do contrato for inferior.

É importante atentar-se ao mês de correção do INCC. Caso a carta de crédito seja atualizada, o percentual amortizado na parcela pelo FGTS será reduzido e pode não corresponder ao limite máximo estabelecido de 80% de cada parcela.

  • Posso usar o FGTS do meu cônjuge para pagar parte da parcela, amortizar ou liquidar o saldo devedor da minha cota de consórcio? 

Sim. Pode ser utilizado o do cônjuge ou do 2º proponente citado no contrato de compra e venda do bem objeto da alienação fiduciária. 

O que a Bancorbrás faz no Consórcio?

Como Administradora de Consórcios, zelamos pelo cumprimento do contrato, garantindo a igualdade de direitos entre os integrantes do grupo de consórcio. Assim, promovemos uma administração segura, transparente e confiável.

Quais os documentos necessários para Análise Cadastral? Sou Pessoa Física.

Para a análise cadastral, você precisará entregar à Administradora de Consórcios: 

  1. ficha de atualização cadastral original;
  2. cópia do RG e CPF (se casado, apresentar também do cônjuge);
  3. cópia do comprovante de estado civil (certidão de nascimento ou casamento);
  4. comprovante de residência em nome do consorciado (água, luz, gás, condomínio, TV a cabo ou telefone) atual e no ano anterior, período igual ou superior a um ano;
  5. documento que indique capacidade financeira: 
  • assalariado: cópias dos três últimos comprovantes de rendimentos e da Carteira de Trabalho (das páginas que contêm foto, qualificação civil, contrato de trabalho e última alteração salarial). Não será aceita Carteira de Trabalho sem a última alteração salarial (caso não conste essa informação no documento, deve ser apresentada a Ficha de Anotações e Atualizações da Carteira de Trabalho e Previdência Social ou Histórico com anotações e atualizações ocorridas durante o contrato de trabalho, ambos com identificação completa da empresa, do empregado e do período a que se refere, contendo assinatura digitalizada do empregador ou do representante legal);
  • aposentado: extrato de pagamento, contendo o valor bruto do benefício(1); ou cópia da Declaração Anual de Imposto de Renda referente ao ano-base do faturamento (entrega do bem), com recibo de protocolo entregue dentro do prazo na Receita Federal; ou cópia do extrato bancário dos últimos seis meses (se emitidos nas agências bancárias, deverão conter o carimbo da agência emissora e, se emitidos nos terminais eletrônicos, deverão ser originais ou cópias autenticadas) e cópia do cartão do benefício;
  • locador: cópias do IPTU pago do ano corrente (desde que em nome do garantido); do Contrato de Locação (no mínimo um ano); e do extrato bancário dos últimos seis meses (se emitidos nas agências bancárias, deverão conter o carimbo da agência emissora e, se emitidos nos terminais eletrônicos, deverão ser originais ou cópias autenticadas); ou Certidão de Ônus do ano corrente e cópias da Declaração Anual de Imposto de Renda referente ao ano-base ao faturamento (entrega do bem), com recibo de protocolo entregue dentro do prazo na Receita Federal e do extrato bancário dos últimos seis meses (se emitidos nas agências bancárias, deverão conter o carimbo da agência emissora e, se emitidos nos terminais eletrônicos, deverão ser originais ou cópias autenticadas);
  • produtor rural: cópias do cartão do produtor rural válido com última atualização; do extrato bancário dos últimos seis meses (se emitidos nas agências bancárias, deverão conter o carimbo da agência emissora e, se emitidos nos terminais eletrônicos, deverão ser originais ou cópias autenticadas); e da Declaração Anual de Imposto de Renda referente ao ano-base do faturamento (entrega do bem), com recibo de protocolo entregue dentro do prazo na Receita Federal;
  • autônomo: cópias da Declaração Anual de Imposto de Renda referente ao ano-base do faturamento (entrega do bem), com recibo de protocolo entregue dentro do prazo na Receita Federal, e do extrato bancário dos últimos seis meses (se emitidos nas agências bancárias, deverão conter o carimbo da agência emissora e, se emitidos nos terminais eletrônicos, deverão ser originais ou cópias autenticadas); ou cópias do Contrato de Prestação de Serviços e do extrato bancário dos últimos seis meses (se emitidos nas agências bancárias, deverão conter o carimbo da agência emissora e, se emitidos nos terminais eletrônicos, deverão ser originais ou cópias autenticadas); ou declaração assinada pela empresa em que presta serviço (em papel timbrado) em que conste obrigatoriamente CNPJ e firma reconhecida do responsável pela informação, e cópia do extrato bancário dos últimos seis meses (se emitidos nas agências bancárias, deverão conter o carimbo da agência emissora e, se emitidos nos terminais eletrônicos, deverão ser originais ou cópias autenticadas); ou Recibo de Pagamento de Autônomo e cópia do extrato bancário dos últimos seis meses (se emitidos nas agências bancárias, deverão conter o carimbo da agência emissora e, se emitidos nos terminais eletrônicos, deverão ser originais ou cópias autenticadas); ou Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos (DECORE) e cópia do extrato bancário dos últimos seis meses (se emitidos nas agências bancárias, deverão conter o carimbo da agência emissora e, se emitidos nos terminais eletrônicos, deverão ser originais ou cópias autenticadas);
  • sócio ou acionista: cópias do Contrato Social com a última alteração consolidada (caso não possua esse documento, encaminhar toda a cadeia de contratos e/ou requerimento de empresário devidamente assinado e registrado na Junta Comercial, em caso de empresa ME), do extrato bancário dos últimos seis meses (se emitidos nas agências bancárias, deverão conter o carimbo da agência emissora e, se emitidos nos terminais eletrônicos, deverão ser originais ou cópias autenticadas) e da Declaração Anual de Imposto de Renda referente ao ano-base de faturamento (entrega do bem), com recibo de protocolo entregue dentro do prazo na Receita Federal; ou pró-labore dos últimos três meses e cópias do extrato bancário dos últimos seis meses (se emitidos nas agências bancárias, deverão conter o carimbo da agência emissora e, se emitidos nos terminais eletrônicos, deverão ser originais ou cópias autenticadas) e da Declaração Anual de Imposto de Renda referente ao ano-base do faturamento (entrega do bem), com recibo de protocolo entregue dentro do prazo na Receita Federal.

Atenção! 

  • Para aprovação do cadastro, é necessário: tempo de atividade igual ou superior a um ano, podendo ser aceito vínculo inferior se comprovado no mínimo um ano no emprego anterior; salário líquido três vezes maior que o valor da prestação mensal.
  • Outros documentos poderão ser solicitados, a critério da Administradora de Consórcios.
  • Os documentos deverão ser digitalizados e não fotografados, a fim de garantir e legibilidade no momento da análise pela Administradora.

 

(1) Caso receba o benefício pelo INSS, você pode gerar o extrato de pagamento por meio do endereço eletrônico: www010.dataprev.gov.br/cws/contexto/hiscre/index.html.

Quais os documentos necessários para Análise Cadastral? Sou Pessoa Jurídica.

Para a análise cadastral, você precisará entregar à Administradora de Consórcios: 

  1. ficha de atualização cadastral de pessoa jurídica preenchida e enviada original;
  2. ficha cadastral de pessoa física dos sócios/acionistas da empresa, preenchida e enviada original;
  3. cópias do RG e do CPF (sócios ou equivalentes);
  4. Contrato Social com a última alteração consolidada (caso não possua, encaminhar toda a cadeia de contratos) e/ou requerimento de empresário devidamente assinado e registrado na junta comercial (em caso de micro empresa);
  5. Inscrição Estadual ou cartão do CNPJ;
  6. comprovante de residência (água, luz ou telefone; ano atual e anterior, período igual ou superior a um ano);
  7. documento que indique capacidade financeira: 
  • optante pelo lucro real: cópias dos três últimos balanços publicados com parecer de auditor independente; do balancete acumulado (se transcorridos mais de três meses do fechamento do último balanço); da Declaração Anual de Imposto de Renda referente ao ano-base anterior ao faturamento (entrega do bem), com recibo de protocolo entregue dentro do prazo na Receita Federal; e da relação de faturamento mensal dos últimos 12 meses, com assinatura de contador com registro no CRC e do representante legal;
  • optante pelo lucro presumido ou simples: DARF’S do PIS ou CONFINS ou Simples mensais dos seis últimos meses (com os respectivos comprovantes de pagamento); cópia da Declaração Anual de Imposto de Renda referente ao ano-base anterior ao faturamento (entrega do bem), com recibo de protocolo entregue dentro do prazo na Receita Federal; e relação de faturamento mensal dos últimos 12 meses, com assinatura do contador com registro no CRC e do representante legal.

Atenção! 

  • Para aprovação do cadastro, é necessário: endereço e tempo de atuação na empresa iguais ou superiores a um ano; e faturamento líquido e mensal de, no mínimo, três vezes o valor da prestação mensal.
  • Outros documentos poderão ser solicitados, a critério da Administradora de Consórcios.
  • Os documentos deverão ser digitalizados e não fotografados, a fim de garantir e legibilidade no momento da análise pela Administradora.

Encontrei um imóvel, que documentos preciso apresentar para análise jurídica da lavratura da escritura?

Pessoa Física: apresentar os documentos abaixo. Eles devem ser originais e estar em nome do comprador, vendedor, fiador, coparticipante e respectivos cônjuges. 

  • Certidão Negativa da Justiça Federal (emitida no site do Tribunal Regional Federal de cada região).
  • Certidão de Distribuição de Ações Trabalhistas (emitida no site do Tribunal Regional do Trabalho de cada região).
  • Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas (emitida no site do Tribunal Superior do Trabalho).
  • Certidão Conjunta de Débitos Relativos a Tributos Federais (emitida no site da Receita Federal).
  • Certidão Negativa de Débitos do Distrito Federal (documento exclusivo para imóveis de Brasília/DF - emitido no site da Receita Federal).
  • Certidão de Protestos e Títulos (emitida nos cartórios de cada região).
  • Certidão de Tutela e Curatela (em caso de Pessoa Jurídica, substituir por Certidão de Falência e Concordata). (*)
  • Certidão de Ações Cíveis. (*)
  • Cópia do comprovante de estado civil (certidão de nascimento ou casamento).
  • Cópias do RG e do CPF.

(*) Para os clientes de Brasília, essas certidões podem ser emitidas no site www.tjdft.jus.br. No caso de Pessoa Física, essas certidões são substituídas pela Certidão de Ações Cíveis, que unifica a informação de ações cíveis e tutela/curatela em Brasília/DF. 

Pessoa Jurídica: além dos documentos acima, apresentar os documentos abaixo. 

  • Certidão Negativa de Débito (CND) do INSS.
  • Certidão de Débitos Relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União.
  • Certidão Simplificada da Junta Comercial (original ou cópia autenticada).
  • Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral (CNPJ).
  • Contrato Social e demais alterações contratuais.
  • Cópias do RG e do CPF dos sócios.

Documentos do Imóvel (originais) 

  • Certidão de Ônus Reais.
  • Registro do imóvel (exceto para Brasília).
  • Certidão Negativa de IPTU.
  • Laudo de avaliação do imóvel, confeccionado por empresa de engenharia indicada pela Administradora.
  • Declaração de quitação de débitos condominiais (apenas para imóveis com instituição de condomínio).
  • Comunicado de aquisição.
  • Recolhimento de Imposto de Transmissão - ITBI (somente após análise jurídica e aprovação da documentação pela Administradora).

Atenção! 

  1. Para os casos de utilização do FGTS para complemento do pagamento aos vendedores, será necessário iniciar o processo em uma agência da Caixa Econômica Federal e, após aprovação, apresentar os seguintes documentos na agência: 
  • original ou cópia autenticada da procuração do responsável da agência que assinará a escritura;
  • cópia do RG e do CPF do responsável pela assinatura da escritura;
  • cláusulas da Caixa Econômica Federal que confirmará o valor a ser liberado do FGTS e as informações que devem constar na escritura final;
  • telefones e e-mails de contato do correspondente da Caixa Econômica Federal que conferirá a minuta. 
  1. Para lavratura em Brasília: enviar as certidões do comprador, vendedor, fiador e dos respectivos cônjuges, emitidas no local de residência e onde o imóvel estiver localizado.
  2. Para lavratura nos demais Estados: enviar as certidões do vendedor e dos respectivos cônjuges, emitidas no local de residência e onde o imóvel estiver localizado.
  3. Caso haja ações positivas, devem ser enviadas as certidões narrativas (inteiro teor / objeto e pé).
  4. Caso o imóvel tenha sido adquirido pelos vendedores há menos de um ano, será necessária a apresentação das certidões do antigo vendedor e do respectivo cônjuge.
  5. A critério da Administradora, poderão ser solicitados documentos complementares.

Encontrei um bem móvel, que documentos preciso apresentar para análise?

Carro ou Moto 0 Km 

Aprovado o cadastro, escolha um veículo cujo valor de compra informado na Nota Fiscal de saída seja 20% superior ao saldo devedor de sua cota (Art. 86 do Contrato de Participação). 

Escolhido o veículo, encaminhe para a Administradora os documentos abaixo. 

  • Comunicado de aquisição (original).
  • Duas vias das páginas 2 e 3 do Contrato de Alienação Fiduciária, devidamente assinadas.

Recebidos corretamente os documentos, a Administradora enviará a Autorização de Faturamento à concessionária que, por sua vez, encaminhará à Administradora a Nota Fiscal de saída alienada, contendo a seguinte informação completa: “Veículo vendido com alienação fiduciária à Bancorbrás Administradora de Consórcios S/A”. 

Carro ou Moto Usados 

Aprovado o cadastro, escolha o veículo, observando os critérios abaixo. 

  • O valor avaliado do bem deverá ser igual ou superior ao saldo devedor de sua cota (Art. 86 do Contrato de Participação).
  • O valor de crédito a ser liberado é limitado ao valor avaliado do bem (Art. 74 do Contrato de Participação).
  • O bem não poderá ser adquirido do cônjuge.
  • O bem não poderá ser adquirido de empresa (do tipo MEI ou ME) da qual o consorciado seja proprietário.

Escolhido o veículo, encaminhe para a Administradora os documentos abaixo. 

  • Comunicado de aquisição (original).
  • Duas vias das páginas 2 e 3 do Contrato de Alienação Fiduciária, devidamente assinadas.
  • Imagem/cópia simples do CRV do veículo (não será aceita imagem do CRLV).
  • Imagem/cópia simples do RG e CPF ou CNH do proprietário vendedor (em caso de aquisição de veículo de particular).

Estando corretos os documentos, a Administradora solicitará à empresa especializada credenciada a avaliação do veículo usado. 

Recebido o laudo, dentro dos critérios exigidos, será enviada à concessionária a Autorização de Faturamento, que por sua vez nos enviará as notas fiscais de entrada e saída alienadas, contendo a seguinte informação completa: “Veículo vendido com alienação fiduciária à Bancorbrás Administradora de Consórcios S/A”. 

O pagamento ao vendedor será realizado após apresentação do documento (CRV/DUT) em nome do consorciado, constando a observação de alienação fiduciária à Bancorbrás Administradora de Consórcios S/A. 

Todo o procedimento detalhado, bem como os documentos solicitados, será enviado ao consorciado por e-mail. 

Clique aqui e entre em contato com a nossa Central de Relacionamento.

 

Que garantias devo apresentar para a retirada do bem?

  • Imóvel: para garantir o pagamento das prestações que ainda irão vencer, deve ser apresentado o gravame do imóvel adquirido em primeira hipoteca ou a alienação fiduciária, a critério da Administradora.
  • Móvel: para garantir o pagamento das prestações que ainda irão vencer, deve ser apresentada a alienação fiduciária do bem móvel adquirido.

 Atenção! 

  • As garantias serão mantidas até a quitação integral do saldo devedor.
  • A Administradora poderá exigir garantias complementares.

PERGUNTAS FREQUENTES

Nenhum resultado encontrado

,